JOELHO ESTALANDO OU ESTALOS NO JOELHO

29/01/2016

O joelho estalando ou estalos no joelho indica uma crepitação da patela, que pode ser apenas uma reação natural ao estímulo do organismo, como pode decorrer do processo natural de envelhecimento ou excesso de atividade física, mas pode ter outras causas, como alterações no formato do joelho (Displasia Troclear e/ou Patelar), e outras alterações da Congluência Patelofemural.

Articulação Patelofemural faz parte da articulação do joelho, a patela age como um potencializador do osso do quadríceps (músculo anterior da coxa). Esse músculo é o músculo antigravitacional, ou seja, responsável pela manutenção da ortostase (ficar de pé) e pela desaceleração da marcha, portanto, as ações de subir e descer escadas e até mesmo a prática de corridas pode causar sobrecarga nessa articulação, pois nessas atividades, ocorrem uma transferência de carga excessiva para essa articulação, da ordem de até 7 vezes o seu peso. Dentre outras causas, também temos como causa comum, o fato de dirigir longos períodos, pois dessa maneira, ocorre a pressão continuada na cartilagem patelofemural.

O excesso de esforço (“over use”) pode gerar a Condromalafia, aumentá-la ou fazer com que evolua de maneira mais rápida, podendo evoluir do grau 1 ao 4 rapidamente, pois, em algumas atividades, o carregamento de peso pode ser multiplicado por até 10 vezes.

Para alguém que levanta 75 kg de peso no aparelho Leg Extension, quando a perna está numa angulação com a coxa ao redor de 45 graus, a pressão patelar pode ser da ordem de 75 kg, ou seja, quase como se tivesse o peso de um carro Uno em cima do joelho. Isso irá evoluir logicamente para o aparecimento e progressão da lesão.

O TRATAMENTO é feito através de medicamento e fisioterapia. Durante esse período, recomenda-se não pegar peso, não usar sapatos pesados e desconfortáveis, evitar ao máximo subir e descer escadas.

Mesmo não havendo sintomas associados, é muito importante a procura de um médico Ortopedista, para que possa ser dado o diagnóstico e feito o devido tratamento.

Por Dr. Robson Souza.